Fone: (51) 99916-3993
E-mail: diretoria@abradigue.com.br

ABRADIGUE

A número 1 no Brasil
Segmentos Implementos Rodoviários

IBGE PREVÊ COLHEITA DE 57,2 MILHÕES DE HECTARES NA SAFRA 2015

O País deve colher 57,2 milhões de hectares na safra de 2015, um crescimento de 1,6% em relação à área colhida em 2014, quando totalizou 56,3 milhões de hectares, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de janeiro, divulgado nesta quinta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Arroz, milho e soja - os três principais produtos - representaram 91,6% da estimativa da produção agrícola em 2015 e 85,4% da área a ser colhida. A área de soja aumentou 3,5% em relação ao ano passado, enquanto a área de arroz registrou redução de 1,3% e a de milho recuou 0,3%. Em relação à produção, o levantamento prevê aumento de 3,3% na safra de arroz, alta de 10,5% para a soja, mas redução de 2,9% para o milho.

A safra agrícola de 2015 será maior para 12 dos 26 principais produtos que integram o levantamento do IBGE. As culturas que apresentarão aumento na produção são: amendoim em casca 1ª safra (18,8%), arroz em casca (3,3%), aveia em grão (23,6%), batata-inglesa 1ª safra (1,2%), café em grão - arábica (0,8%), cevada em grão (23,1%), feijão em grão 1ª safra (15,2%), mamona em baga (141,0%), mandioca (3,9%), milho em grão 1ª safra (3,8%), soja em grão (10,5%) e trigo em grão (20,4%).

Os 14 produtos com expectativa de queda na safra em relação a 2014 foram: algodão herbáceo em caroço (7,3%), amendoim em casca 2ª safra (11,2%), batata-inglesa 2ª safra (7,6%), batata-inglesa 3ª safra (19,4%), cacau em amêndoa (16,7%), café em grão - canephora (11,3%), cana-de-açúcar (1,4%), cebola (8,2%), feijão em grão 2ª safra (0,9%), feijão em grão 3ª safra (3,6%), laranja (1,1%), milho em grão 2ª safra (7,1%), sorgo em grão (7,4%) e triticale em grão (10,5%).

Segundo o IBGE, a soja terá o maior aumento absoluto no volume produzido, 9.073.984 de toneladas em 2015 a mais que em 2014. As maiores perdas em volume serão registradas na cana-de-açúcar (-9.542.697 de toneladas) e no milho (-2.267.458 de toneladas).

Fonte: Estadão Conteúdo